Bispo prega tolerância e diz que homossexualidade é ‘dom de Deus’

Aplaudido de pé, Dom Antônio defendeu que o evangelho é inclusão. “O evangelho é porta estreita sim, é um amor exigente, mas é uma porta sempre aberta. Deus nunca fecha porta para ninguém”

“Orientação ninguém escolhe. Um dia, a pessoa se descobre com esta ou aquela orientação”. A frase foi proferida pelo bispo de Caicó, Dom Antônio Carlos Cruz Santos, me plena missa. Um dos principais líderes católicos do Rio Grande do Norte, Dom Antônio pediu aos fiéis, durante o encerramento da Festa de Santana de Caicó, no último domingo (30), que “dessem um salto de fé”. A homilia de Dom Antônio ainda repercute neste sábado (5).

“Escolha será a maneira como você viverá sua orientação, se de uma forma digna, ética, ou de uma forma promíscua… Mas promiscuidade pode-se viver em qualquer uma das orientações que se tem”, provocou. “Se não é escolha, se não é doença, na perspectiva da fé só pode ser um dom” Dado por Deus”, reforçou o bispo.

Aplaudido de pé, Dom Antônio defendeu que o evangelho é inclusão. “O evangelho é porta estreita sim, é um amor exigente, mas é uma porta sempre aberta. Deus nunca fecha porta para ninguém”, afirmou ao pedir aos fiéis que superassem “preconceitos contra os nossos irmãos homoafetivos”.

Na página da Diocese de Caicó no Facebook, comentários com criticas ao bispo dividem espaço com elogios. Procurado pelo G1, Dom Antônio afirmou que prefere não tecer comentários, no momento. A Arquidiocese de Natal declarou que o bispo tem autonomia e liberdade de ideia e pensamento.

O bispo pontuou, no encerramento da festa para a padroeira de Caicó, que uma estudo sobre casos de homicídios entre homossexuais motivou o sermão. Dom Antonio nasceu o Rio de Janeiro e foi ordenado padre em 1992. Em 2014, ganhou, do Vaticano, o título de Bispo de Caicó. No currículo religioso, Dom Antônio tem trabalhos na Cidade de Deus (RJ), em Contagem (MG) e em Belford Roxo (RJ).

Via: Noticias ao minuto