Jovem novo convertido é amarrado e espancado pela família por 12 horas para negar a Jesus

O drama de Cheu começou quando sua família descobriu que ele havia aceitado a Jesus como Senhor e Salvador.

Um jovem que se converteu ao Evangelho passou a ser perseguido pela própria família, que o colocou em cativeiro, amarrado por 12 horas, para tentar convencê-lo a negar a Jesus Cristo.

O caso do jovem Cheu, 20 anos, foi relatado pela Missão Portas Abertas. Ele vive em Laos, um país da Ásia onde a intolerância com o cristianismo é severa, resultando em perseguição desmedida contra os seguidores de Jesus.

Tamanha rejeição ao Evangelho posiciona o país asiático no 24º lugar da lista mundial de piores países para um cristão viver. O documento, elaborado pela Portas Abertas, é atualizado anualmente a partir dos relatos dos missionários que estão nos países do ranking.

O drama de Cheu começou quando sua família descobriu que ele havia aceitado a Jesus como Senhor e Salvador. Imediatamente, os parentes passaram a rejeitá-lo, como é de hábito entre os laocianos, influenciados pelo comunismo que orienta o partido único do país.

“Cheu é um novo convertido de apenas 20 anos e que está sendo perseguido pela própria família, em que um dia ele encontrou conforto e amparo. Hoje, porém, ele vive momentos difíceis por ser rejeitado”, contou o colaborador da Missão Portas Abertas, que teve a identidade preservada por questão de segurança, da mesma forma que o nome Cheu é fictício.

O missionário relatou que Cheu foi amarrado com cordas e espancado pelo próprio irmão, além de um tio: “Eles me disseram que preciso retornar à antiga fé e que devo negar a Cristo. Fiquei amarrado das sete horas da manhã até as sete da noite. Doeu ouvir o que saiu da boca deles”, lamentou Cheu, que é casado e pai de um bebê de quatro meses.

O colaborador da Portas Abertas revelou que Cheu “faz parte da tribo Hmong (grupo étnico oriundo do sul da China, também chamado de ‘povo da montanha’)”, e foi evangelizado por um parente que já havia ouvido a mensagem de Jesus Cristo através de um trabalho missionário.

“[Cheu] vive em uma das províncias de Laos. Um dia, um de seus parentes, que já participou de um aconselhamento pós-trauma da Portas Abertas, pregou a ele o Evangelho e ele então se decidiu por Cristo”, disse o missionário.

O próprio Cheu confirmou a história de sua conversão: “Minha esposa estava doente e nós fomos ver o xamã da nossa aldeia. Ele nos aconselhou a sacrificar muitos animais para que ela fosse curada, mas minha família é muito pobre e não conseguimos comprar tudo o que ele pediu. Foi quando meu tio orou por ela e minha esposa foi curada”, relembrou.

A conversão ao Evangelho aconteceu posteriormente, quando o casal pôde aprofundar seu conhecimento sobre o Evangelho. O resultado foi que eles se tornaram perseguidos pelos próprios parentes e vizinhos.

A situação de Laos, na prática, é de uma ditadura comunista. O Partido Revolucionário Popular controla o governo desde 1975, cerceando a imprensa e a liberdade de opinião e religião.

Os governantes não aceitam a difusão do Evangelho no país porque os princípios cristãos são vistos como uma ameaça à preservação do comunismo no país. Décadas atrás, o governo patrocinou uma espécie de inquisição contra os cristãos, que são minoria, com a proposta de erradicar a fé no território, mas a iniciativa, embora tenha feito muitos mortos, fracassou.